FEJER, Kazmer

Nasce em Pecz (Hungria), 1922. Estuda na Academia de Belas Artes de Budapest, fixando-se em São Paulo em 1949, depois de uma permanência em Paris durante a qual tomou parte no Salão Realités Nouvelles (1946). Já então pratica um pintura de expressão não-representativa, qual mais tarde daria ênfase à estruturação geométricas das formas, e que, depois, abandonando o plano, descambaria para o objeto tridimensional. Em São Paulo participa em 1951 da I Bienal, e no ano seguinte da mostra da abertura do Grupo Ruptura. É, em meados da década de 50, um dos representantes típicos do Concretismo paulista, tendo participado das mostras nacionais de arte concreta de 1956 em São Paulo e de 1957 no Rio de Janeiro, e da Konkrete Kunst de Zurique, em 1960. Em 1970 regressa à Europa, radicando-se em Paris, onde trabalha como químico industrial em indústrias de tintas e pigmentos, sendo detentor de uma patente mundial de um sistema de coloração de plástico.

Fonte: D. Amaral, Aracy A. (Coord.): Projeto Construtivo Brasileiro em Arte (1950-1962), Rio de Janeiro e São Paulo, 1977, p. 204-5.