Hélio Oticica

Pintor e escultor, nascido no Rio de Janeiro, em 1937.Estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM Rio e integra o grupo Frente, a partir de 1953. Em 1956-57, participa da I Exposição Nacional de Arte Concreta, no MAM-SP e no Ministério da Educação e Cultura, no Rio. Em 1957-58 cria os chamados Meta-esquemas, desenhos onde manipula formas simples, visando ao mesmo tempo estimular o olhar e a mente.A partir de 1959-60 renega os produtos da ortodoxia concretista, ligando-se ao movimento neoconcreto. Rompe com a estrutura bidimensional do quadro e liberta a cor da tela, visando espacializá-la. Característicos dessa fase são as Monocromias, formas quadradas recortadas e coladas sobre suporte retangular branco; os Bilaterais, objetos coloridos suspensos no ar; os Núcleos e os relevos Espaciais, placas tridimensionais suspensas por fios que podiam ser manipuladas pelo espectador, e os primeiros penetráveis, instalações em foram de labirinto, onde cores se sucediam em um ritmo cromático previsto. Em1960, participa da mostra Koncrete Kunst, em Zurique. Em 1961, expõe no MAM Rio a maquete do Projeto Cães de Caça - espécie de jardim japonês, entremeado de Penetráveis, evidenciando seu interesse progressivo em pesquisar novos esquemas de participação do espectador na obra de arte. Em 1963, cria os Bólides, pequenas peças de vidro contendo pigmentos puros que podiam ser manipulados. Já em 1964, desloca sua obra no sentido da criação de ambientes participacionais, então denominados Manifestações Ambientais. Em 1965, apresenta Parangolé, primeira manifestação ambiental coletiva, envolvendo capas, barracas, estandartes e passistas da Mangueira, na mostra Opinião 65, relizada no MAM Rio. Em1966, apresenta a manifestação ambiental Sala de Sinuca, na mostra Opinião 66, no MAM Rio. Apresenta a manifestação ambiental Tropicália , espécie de labirinto feito de Penetráveis, monitorados por um olho televisivo, na mostra Nova Objetividade Brasileira, no MAM Rio, no ano seguinte. Realiza no Aterro do Flamengo a manifestação ambiental coletiva: Apocalipopótese (1968).No ano de 1969 realiza importante individual na Whitechapel Gallery, em Londres. De 1970 a 78, como bolsista da Fundação Guggenheim, fixa-se em Nova Iorque. Participa da retrospectiva Information, realizada no MoMA - NY. Retorna ao Brasil em 1978. Deste ano até 1980, desenvolve maquetes de labirintos que deveriam integrar o projeto de Ruy Othake para o parque ecológico do Tietê, SP. No mesmo ano, morre no Rio de Janeiro. Em 1986, a Galeria São Paulo realiza uma retrospectiva póstuma. Em 1992-94 ocorre primeira retrospectiva internacional do artista, que percorre cidades como Roterdã, Paris, Barcelona, Lisboa e Mineapolis. Participou da IV, V, VII, VIII, XIV(Artista Convidado) eXXII( Sala Especial), Bienais Internacionais de SP. Teve obras exibidas na Bienal Brasil Século XX. Em 1996, é representado com Metaesquemas na exposição Tendências Construtivas no Acervo do MAC - USP. Também em 1996, inaugura-se no Rio de Janeiro o Centro de Arte Hélio Oiticica.

Fonte: Aguilar, Nelson (org.).Catálogo Bienal Brasil Século XX. SP, Fundação Bienal, 1994.