Cooperativa dos Artistas Visuais do Brasil
 
Cooperativa de Artistas Visuais do Brasil realiza o

" I Salão Aberto - Paralelo a XXVI Bienal Internacional de São Paulo".

Dia 27 de setembro - segunda-feira, a partir das 10h00, a Cooperativa de Artistas Visuais do Brasil abre o " I Salão Aberto - Paralelo a XXVI Bienal Internacional de São Paulo", na Casa das Retortas, Rua Maria Domitila, 79 - entrada franca. O I Salão Aberto prevê a participação de cerca de 80 artistas nas áreas de pintura, escultura, gravura, desenho, fotografia e foto-imagem, instalação, intervenção, performance, vídeo, imagem digital e outras linguagens consideradas fronteiriças ou híbridas com as novas mídias.

Idealizado com características que permeiam particularidades inovadoras no cenário contemporâneo, como a participação de artistas visuais, no desenvolvimento e na implementação da iniciativa, o I Salão Aberto pretende estabelecer um diálogo democrático junto às Bienais, iniciando um processo que visa aumentar a representatividade de artistas brasileiros nestes eventos e tornar mais democrática sua curadoria, que será feita através de seleção e não de convite.

" Hoje para que o artista tenha espaço, ele deve se adaptar ao conceito de arte dos críticos e curadores, correndo o risco de ficar preso aos rótulos. A idéia do I Salão Aberto é de oferecer uma radiografia da produção brasileira sem interferência externa" explica Antonio Peticov, presidente da Cooperativa de Artistas.
Com o apoio do Ministério da Cultura, da Fundação Bienal Internacional de São Paulo, da Prefeitura e da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e da EMURB, o I Salão Aberto receberá até o dia 31 de agosto propostas de artistas brasileiros natos ou naturalizados e estrangeiros com visto de permanência definitiva há mais de 5 anos e registro nacional de estrangeiros.
Este projeto nasceu a partir do lançamento do manifesto sobre a localização dos artistas no cenário das Bienais de São Paulo, do Mercosul entre outras:
" ...constatamos o encolhimento do número de artistas escolhidos e sentimos em nossa carne uma exclusão cada vez maior... Mas o que mais nos machuca é outro tipo de exclusão - O DA NÃO PARTICIPAÇÃO NA FORMULAÇÃO DAS NORMAS QUE REGEM CADA EVENTO. Principalmente quando esses eventos são beneficiados por leis de incentivo fiscal, com dinheiro público, com o nosso dinheiro...No Brasil estamos vivenciando este conceito de democracia cada vez mais, o direito de concordar e o de discordar.

Enfim adquirimos voz plena.

Nós artistas visuais, vimos nossas conquistas sumirem durante os anos de exceção e cabe a nós readiquirí-las...
Com a ditadura a voz se perdeu. Agora, estamos aprendendo outra vez a falar, a discutir, a dialogar. E temos uma proposta para a Bienal de São Paulo, para a Bienal do Mercosul e para todos os outros grandes eventos, onde uma representatividade de artistas brasileiros esteja presente."
No I Salão Aberto os trabalhos serão selecionados por um conselho de curadores, composto por 5 membros, sendo 02 nomes eleitos pelos artistas inscritos, 02 eleitos entre os membros da Cooperativa de Artistas Visuais do Brasil e um indicado pela Bienal Internacional de São Paulo.
Para inscrever-se com até 03 trabalhos ou projetos, os artistas ou grupos devem preencher um dos seguintes requisitos: ter até 35 anos de idade, ou ter participado de até 03 exposições individuais, ou de até 05 exposições coletivas.

Serviço:

" I Salão Aberto - Paralelo a XXVI Bienal Internacional de São Paulo"

Abertura para o público - 27 de setembro, segunda-feira, às 10h00

de 27 de setembro a 31 de novembro
de segunda-feira a domingo, das 10h00 às 19h00
entrada franca
Casa das Retortas
Rua Maria Domitila, 79 - Centro
São Paulo - SP 03003-010

Informações para a imprensa:

e-mail - cooperartista@cooperartista.org.br
Diretora de Difusão - Edna Prometheu - tel. 11 9532-4652
e-mail - edna_prometheu@yahoo.com.br ou
ednaprometheu@bol.com.br
Melissa Caravieri – cel 8263 0111 ou email mcaravieri@hotmail.com


Sobre a Cooperativa de Artistas Visuais do Brasil:

A Cooperativa de Artistas Visuais do Brasil, foi fundada no dia 19 de agosto de 2003, como resultado de um movimento em defesa da identidade e da diversidade cultural. Esta iniciativa surgiu da necessidade de acentuar a participação dos artistas visuais nos processos de decisão cultural e da ampliação nacional o internacional do conhecimento e difusão das artes visuais desenvolvidas no Brasil.
A história da Cooperativa é composta em sua ancestralidade e no presente, entre outros elementos, pelo resultado do movimento de artistas que manifestam-se contra o fechamento arbitrário da Casa das Rosas em São Paulo, ambiente que durante sete anos abrigou e contemplou a arte na diversidade.
Participam da Cooperativa, artistas que se encontram em sintonia com os objetivos e propósitos desta instituição e que buscam constribuir com a elevação da visibilidade da arte contemporânea desenvolvida no Brasil, inclusive no âmbito internacional, entre eles estão nomes como: Antonio Peticov, José Roberto Aguilar, Guto Lacaz, Fausto Chermont, Felipe Ehrenberg, Vera Café, Ivald Granato, Silvio Dworecki, entre outros.
Segundo o presidente da Cooperativa o artista plástico Antonio Peticov:
" ... a Cooperativa desempanhará um papel democrático nas relações humanas e profissionais no mercado porque é fruto do esforço e da dedicação de artistas que acreditam na pluralidade e na diversidade de opiniões.
"já para o vice-presidente o fotógrafo Fausto Chermont:
"...vamos lutar por uma política arejada e democrática, colaborando sempre, para a ampliação dos horizontes culturais da sociedade."
Entre os objetivos propostos pela Cooperativa de Artistas estão:
O incentivo a produção e difusão dos múltiplos de arte, visando proporcionar o intercâmbio entre arte e sociabilidade, contribuindo com a elevação dos atuais níveis de consciência;
Promover a valorização dos trabalhos desenvolvidos pelos cooperados e das artes visuais produzidos no Brasil ampliando seu alcance internacional;
Estimular o intercâmbio nacional e internacional entre os artistas das artes visuais;
Organizar campanhas em defesa dos espaços e iniciativas culturais democráticas, pleitear a democratização cada vez mais acentuada das bienais e salões nacionais e internacionais;
Organizar exposições em vários espaços culturais, contribuindo com o fomento da produção cultural em âmbito nacional e internacional;
Elaborar propostas para as leis de incentivo cultural em todas as instâncias brasileiras e estabelecer o diálogo e as ações em defesa das artes visuais diante de todas as instâncias de poder público e privado no Brasil.

Cooperativa de Artistas Visuais do Brasil

Rua Brig. Haroldo Veloso, 150 - Itaim Bibi- São Paulo
Informações no tel.: 11 3071-0453
e-mail - cooperartista@cooperatista.org.br